Nunca foi tão bom usar fato!

Como vestir fato e gravata ?  Para a maior parte dos homens vestir fato e grava ainda é um dilema.

O fato deve  ser escolhido sempre de acordo com a sua personalidade, ocasião que o vai usar, posto de trabalho, etc.

O mais importante quando for usar um fato é saber coordenar as cores e padrões, além claro da medida certa para si. 

Convidei Cesar Iabna, fashionista e vitrinista, ele que é conhecido pela maneira irreverente de usar fato.

Actualmente a maneira de usar fato democratizou-se, Cesar e eu decidimos mostrar através da sessão que fizemos que a definição de clássico alterou-se, use fato de uma maneira divertida.

Veja Cesar Iabna no Bem-Vindos aos 32 min da primeira parte!

 

Erros que deve evitar caso use fatos da maneira clássica.

O tipo de tecido deve obedecer à estação que se encontra.

As medidas devem ser certas para si, por isso tem de estar atento na altura do punho, bainha, encaixe de colarinho e de ombros.

As meias é outro item que não deve ser esquecido, estas não devem contrastar com a cor das calças.

Tenha atenção aos acabamentos, observe todos os detalhes visíveis.

Escolher cores fortes em todas as peças.

Modelo apertado que saliente a barriga

Modelo grande demais para quem o está a usar.

 

A gravata

As pontas devem estar na altura do furo do cinto, nunca por dentro das calças, barriga ou debaixo do cinto.

A gravata deve criar harmonia ao conjunto.

Deve ter em conta a sua própria personalidade, se gosta de passar despercebido então combine-a com o fato.

Se usar uma camisa lisa, as gravatas podem ser lisas ou estampadas. Já se a camisa é estampada, a gravata deve ser lisa.

 

MODAAFRICA –Eth(n)ical Fashion Week

As  tendências da moda Africana para 2018 foram apresentadas no passado fim de semana ( 21 e 22 de Janeiro de 2017  na 2a edição do MODAAFRICA –Eth(n)ical Fashion Week, evento alternativo promovido pela AMA – Associação de Moda Africana em Lisboa. 

O Pavilhão Central do Instituto Superior Técnico ( IST ) serviu de palco principal do evento, 17 estilistas apresentaram as suas colecções.

 

Para abrir o evento e dar inicio ao bloco dos primeiro desfiles surgiu-nos José Hendo marca assinada pela designer nascida no Uganda a residir no Reino Unido, caracterizada pela moda sustentável esta foi a primeira vez da Designer em Lisboa que nos quis presentear com “Motto Silhoette”. Segundo a estilista: “motto significa em japonês a origem, a causa, a fundação e a base”.

Zero desperdícios este é o lema da Designer que recorreu a materiais reciclados ( cintos de segurança, pedaços de chão usados em superfícies industriais), para produzir as peças da coleção.

Quimonos, e peças vanguardistas marcaram o desfile de José Hendo.

A Designer

O primeiro dia de desfiles contou com caras conhecidas do mundo da moda Africana; estilistas como Divaldo Legancy e outros fashionistas  e os organizadores do  Fashion Concept Design não quiseram deixar de apoiar esta iniciativa.